quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

ás vezes ela vem e me cobre de um gosto salgado,
fortemente me agride o rosto e nem cobrindo a cabeça me protejo.
mas logo pára e não volta mais.

outras vezes, ela vem carinhosa e me acaricia as costas me fazendo cócegas.
até tiro a blusa pra aproveitar o momento, e isso leva horas.

tem dias que estou exausto, ela me vem e fica se exibindo na minha janela.
não tem como não olhar. é lindo vê-la passar pela rua.

em noites de insônia, ela canta para eu dormir,
do outro lado da casa.
é inevitável, o sono vem e me encaminha aos sonhos.

ah, como eu queria
que chovesse todo dia.

Um comentário:

Ana Lívia de Moraes Rodrigues ♥ disse...

Você não tem idéia do quanto eu gosto de tudo que você escreve :)