sábado, 22 de agosto de 2009

poema simples de um sentimentalista xulo

samba desconstruído, modernidade, ascensão
amor não correspondido, má situação
queria eu poder dizer, se puder eu digo não
mas você tá na tevê, e até no papel de pão

hoje mesmo no banheiro, debaixo do chuveiro
senti falta de seu cheiro e de todas as carícias
mergulhei na água quente, simplesmente
esperando que você nao volte de repente

minha vontade é te dizer, tudo isso que eu sinto
juro mesmo, juro mesmo, eu não minto, eu não minto!

acontece que você, já se enrosca em outros braços
e eu também, por minha vez, me contento com abraços
pernas que não são as suas - e que não chegam aos pés -
de garotas seminuas que garantem meu revés

3 comentários:

mefasollapisdecor disse...

voce que escreveeu? *---*

lucz,voce me ouve, e eu te ouço.
obrigada!

umponto.

Ana Lívia de Moraes Rodrigues ♥ disse...

Esse poema é MEU! HEUIAHOEIUAHE fez PRA MIM não é possível. Adoro ler coisas que falam o que eu penso! Poetinha s2

paulinha disse...

que lindo *_*


foi você?
beijos
éssedois.