quarta-feira, 23 de setembro de 2009

é amor, é bobo e é clichê, mas é verdade.

pouco tempo, muitos planos, nenhum erro.
eis que de repente estamos eu e você, e a vida nos guiando, meticulosamente, passo por passo.
há alguns dias atrás, eu me achava ridículo por ter vergonha de passar os braços ao seu redor.
hoje, eu olho pra você e penso: "o que foi que ela viu em mim?"
penso que isso tudo tá sendo muito bom, pra nós, porque o passado muitas vezes não honra o nome, e volta, tentando ser presente. mas nós dois sabemos que isso é insignificante, e o que importa é o que somos um para o outro.
hoje, você pra mim é 50% da minha vida. os outros 50% se resumem em: 25% na segunda trilogia de Star Wars - que eu já tenho - e 25% na primeira trilogia de Star Wars - que eu terei.
e já que você é a parte mais importante desse todo, e que o amor é suficientemente incontestável e incompreensível, então, Penélope, eu acho que te amo.

3 comentários:

Filipe F. Bonita disse...

hahahaha muito bom! A penelope deve ter gostado, certeza!

Penélope Horvath Boriero disse...

Ahhh Lucas, eu te amo.

Jefferson disse...

Tu escreve com uma leveza, que até o romantico nao fica sem sal. è... vc é um bom cozinheiro.